Prólogo

Nome: São tantos nomes, tantos rostos. Por hora basta que me chame de Sandman se te faz feliz

Local: Aqui, alí, acolá, onde a próxima página em branco se abrir

O que amo: Contos, RPG,
Musica, Livros, Poesias,
Filmes, beijos

O que odeio: Palavra forte demais
O que não tolero: falsidade, hipocrisia,
pergunta idiota, gente futil.

Minhas Metas: Ser feliz
não importa onde

Direitos Autorais: © Todos os
direitos são reservados. Os
direitos autorais são protegidos
pela Lei nº 9.610 de 19/2/98.
Violá-los é crime estabelecido
pelo Artigo 184 do Código Penal
Brasileiro. Se você quiser copiar,
não esqueça de divulgar a
autoria.





Links

Archives


7:25 PM
 

Lembranças...


Os olhos azuis olhavam para o alto, até onde a vista poderia alcançar o final dos arranha céus de metal que faziam parte de Tokyo naquela época. O vento se incubia de bagunçar-lhe os cabelos negros com algumas mechas de um tom de vermelho sangue, que lhe caiam nos olhos imaculadamente azuis, atrapalhando assim para onde ele pretendia olhar. Era meio dia, e não havia sol. Ele era constantemente tomado pela densa névoa que tomava a cidade todos os dias. Um ar constantemente pesado e que dificultava uma previsão segura de climas. Haviam dias quentes como um deserto escaldante, e outros tão frios quanto os trópicos. E talvez para Kyo fosse ainda pior. Habitava o subúrbio. O lugar para onde era mandada a “escória”. Quem não fazia parte do novo mundo criado graças a mão e a ambição de Masasume. Crispava o rosto enquanto arrumava a camisa de lã negra que lhe caia sobre o corpo sobre a camisa básica num tom de grafite. Ajudavam a passar o frio. Descia os olhos calmamente para a frente e os olhos iam acompanhando a estrutura metálica ser engolida pela muralha de pedras e concreto. Os muros que separavam a nata do estorvo. Por alguns segundos fechou os olhos ao sentir o vento forte novamente trazendo desta vez a poeira que vinha junto consigo dos esgotos. E podia ter a total visão de seu passado.

- Ei chibi! Não corra para lá! É perigoso!!

Não escutava, com 10 anos de idade qualquer criança iria querer apenas brincar e para ele era algo novo, havia uma fenda na muralha, e dava para ver os campos verdejantes que a tecnologia cria sintéticamente ou holograficamente, mas era lindo para seus olhos infantis.

- Vem Raiko!! – Chamava a amiguinha de travessuras, tomando-a pela mão enquanto ignorava os gritos de seu irmão mais velho.

- Kyo-Kun!!! É perigoso! Ryu está falando para voltarmos!!

- Raiko-chan é medrosa!! – Fazia uma breve careta parando os passos pouco antes de cruzar a linha limite.

- Raiko não é medrosa!!! – Ela soltava-lhe a mão para cruzar os pequeninos braços sobre o peito e fazer aquele doce bico que as meninas aprendem tão cedo para dobrar qualquer pessoa. Os cabelos negros dividos e presos com elástico de bichinhos em dois cachos no alto da cabeça. – Raiko só sabe que para lá não podemos brincar e Ryu-san vai ficar nervoso com a gente, e vai brigar com a gente quando voltarmos.. vamos voltar Kyo-kun

- A gente já chegou aqui, Raiko!! – E o pequeno dedo apontava para a muralha na direção da fenda que exibia o pouco do colorido que poderia haver ali dentro, e a tomava pela mão novamente se preparando para correr em disparada até a muralha.

O jovem que os seguia de longe havia parado despreocupado imaginando que eles voltariam com a parada e o emburrar da pequena Raiko, mas não. Eles corriam de novo e desta vez Kyo parecia decidido a cruzar a linha de limites.

- Kyo!!! Não!!!! – O jovem corria desesperadamente na direção da muralha, os olhos escuros arregalavam-se na direção do irmão que corria despreocupadamente na frente. – Volte!!!

A voz metálica se fez ouvir. Alta tecnologia desenvolvida pela organização que trabalhava com as armas bélicas de Tokyo, e atualmente acabava por alimentar tanto a guarda de segurança como os próprios bandidos.

- Atenção . Afastem-se da muralha. Ultimo aviso. Voltem para a linha limite. Afastem-se da muralha!

Os olhos azuis de Kyo voltaram-se para a direção de onde vinha a voz, mas o pequeno não conseguia ver alem das cinzas muralhas. Não conseguia ver os canhões no topo e os olhos de agora fechavam-se num controlar da lágrima insistente que queria brotar no rosto, com o cerrar dos punhos ao longo do corpo.

- Kyo!!!! – O Jovem Ryu não dava ouvidos para a gravação, precisava retirar o irmão da zona de perigo, e esticava as mãos na direção de onde ele estava.

- Ryu-san! – Raiko assustava-se com o grito do rapaz, com a voz metálica que para ela era tão assustadora quanto o próprio monstro do armário que ela jurava ver todos os dias quando visitava os primos. E soltava a mão de Kyo para correr na direção de Ryu, e na pressa, no desespero de fugir daquele lugar tão assustador que os adultos contavam como proibido o pequenino coelho rosa de pelúcia caia. – Satoshy!! – Ela parava para buscar o bichinho novamente e o som dos projeteis eram escutados. E a mão de hoje tapava os ouvidos num crescente desespero, sem conseguir conter as lagrimas que os olhos azuis de antes vertiam naquele mesmo momento quando escutou os disparos. Quando viu o pequenino corpo de sua amiga e amada prima caindo no chão sem sequer ter tempo para gritar. Alvejado e o sangue, era tanto daquele liquido vermelho que só depois ele conseguiu entender o que era. Espalhado pelo chão, pelo coelhinho de pelúcia. E o segundo corpo caia de joelhos, os olhos arregalados na direção dele, a voz quase muda que fugia da garganta de onde escava o vitae.

Ryu levava a mão ao peito e a olhava, contemplando o próprio sangue, em segundos o que seria a própria morte. E mais vozes vinham em desespero.

- K...yo.. – murmurou sentindo que mais sangue lhe subia a garganta, que a vida aos poucos ia deixando seu corpo.

- Ryu!!! – A voz da mulher que vinha logo atrás em uma corrida desenfreada ao ver o filho de joelhos, ao vislumbrar o corpo da pequena ao chão.

- Para trás da linha, afastem-se da muralha!

Mas que mãe daria ouvidos a um aviso metálico quando seu filho se encontra morrendo diante de seus olhos? A Senhora Hosokawa gritava levando as mãos à boca. Já havia perdido o marido numa das lutas entre gangs e a segurança. O pobre Toboe não esperava passar pela via escura bem no momento em que haveria um embate das duas forças alimentadas de armas, e agora via seu filho mais velho prostado de joelhos no chão e por Deus, onde estava Kyo?

- Ultimo aviso, afastem-se da linha limite.

Ryu ainda conseguiu olhar para trás, os olhos outrora negros e vividos num tom de palidez. E eram frações de segundos, o pequeno Kyo gritava, desesperado sentindo as lagrimas molharem os olhos de antes, enquqanto os de hoje eram enxutos pelas costas da mão enluvada, de onde os dedos escapavam. E o ruído dos estampidos, o vestido florido da Sra. Hosogawa tingido de um rubro escuro e denso, quando ela abraçava o filho mais velho que perdia as forças em seus braços. Os olhos azuis como os de Kyo que perdiam o brilho assustado e ela em seu amor maternal conseguia forças para erguer-se. Ryu estava morto, a pequena Raiko também. Restava Kyo petrificado próximo a muralha. Ela caminhava para ele, chamando-o pela mão e o abraçava, sentindo o sangue lhe fugir das pernas, das mãos, o frio que tomava seu corpo inteiro naquela manhã de primavera.

- Mamãe! – Kyo abraçava-se a ela, tendo o rosto tingido do vermelho sangue que manchava o vestido dela

- Shhh. – Engolia forçadamente a própria saliva enquanto no abraço usava o corpo debilitado para proteger o corpo do filho e caminhar de volta para a linha limite.

- Afastem-se da muralha. Ultimo aviso!

E novos estampidos, restavam dois passos. E a cabeça de Kyo se erguia para a expressão de dor de sua mãe. Para os olhos que se abriam assustados. Para o sangue que brotava ao lábio. E o rosto de hoje abaixava contendo o choro, contendo a dor, a raiva, tendo os cabelos negro e vermelho a cobrir os olhos. E a Sra. Hosogawa caia de joelhos, tendo o corpo a escorregar pelo do pequeno, a mão dela a segurar a dele. Os olhos amorosos a pousarem sobre os dele numa forçada e dolorida despedida.

- Ma..mãe? – Não havia mais voz para o pequeno e assustado Kyo. Em minutos tinha um lar, uma família que o amava, e agora? – Por favor mamãe, vamos para casa.. Vamos buscar ajuda pra buscar Ryu e Raiko-chan!! – E os pequeninos dedos seguravam com força a mão pálida da mãe, que já não conseguia conter as lagrimas por sentir a vida partir e abandonar o pequeno daquela forma.

- Ultimo aviso. Para trás da linha limite!

Novos estampidos e nova expressão de dor da mulher que usava seu ultimo resquício de força, aliado ao desespero do amor de uma mãe para empurrar Kyo para o outro lado da linha, ao tempo em que o corpo caia ao chão inerte e sem vida.

- Ocaasaaaaaaaaaan!!!!! – Gritava com os olhos assustados sobre o corpo que jazia inerte sobre a imensa poça de sangue que se formava.. E Kyo gritava ajoelhado sobre a linha, tomando a mão da mãe para si, puxando-a como podia para o outro lado, arrastando-a sobre a areia - Mãe, ocaassan fala comigo ocaassan!!! E o pequenino e fragil corpo debruçava-se sobre a inerte mulher em seu colo, a tentar limpar-lhe a areia do rosto, tentando em vão devolver-lhe o sopro da vida, em meio a beijos, a lagrimas que vertiam dos olhos azuis . E as mãos de hoje se abriam novamente , acompanhando o respirar pesado . 8 anos haviam se passado desde então , e ali estava Kyo, os cabelos vermelhos e negros a mover com o vento, os olhos azuis sobre a mesma muralha, os pés atrás da mesma linha. Era hora de dar o troco. e para si, puxando-a como podia para o outro lado, arrastando-a sobre a areia - Mue que se formava.a para a linha limite.

ia as



Rabiscado por Sandman

6 :... Encontre a si mesmo ...:

1:45 PM
 

E em uma noite insone em Gotham City...


Bom.. o que acontece quando três amigos sem ter muito o que fazer se reunem no MSN numa madrugada de domingo? Quando dois estão numa sala de bate-papo esperando para dar seguimento a um jogo de RPG e alternam-se entre quedas e quedas dos participantes, e o outro sem ter mesmo PN para fazer executa uma proposta tentadora? Ora. Eles vão se tornar Combatentes do Crime!!! E assim surge a The Shit Pictures.

E em mais uma noite de tédio em Gothan City...

Batman: voltei menino prodígio..

Asa Noturna: aonde vc foi homem morcego

Batman diz: vc falou pule, menino prodigio e eu CAPOFT despenquei do alto da torre de Gothan

§Asa Noturna§ diz: vc e essa sua mania de sumir enquantoa g ente fala u.u

Batman diz: culpa do meu cinto de inutilidades Robin

§Asa Noturna§ diz: cade o Alfred nessas horas? Robin é o #@$¨$$% eu sou o Asa Noturna! Asa Noturna

§Batman§ diz: certo certo asa noturna

§Asa Noturna§ diz: isso...e tipo... o Batcarro ta com água no radiador u.u

§Batman§ diz: Raios.. como se não bastasse acabar a pilha do ventilador de painel Asa Noturna.. Agora vc vai ter que me abanar até a delegacia

§Asa Noturna§ diz: te abanar? Batman você precisa sair mais... sei lá vc ta ficando o tipico quarentão virgem

§Batman§ diz: Tudo bem Asa Noturna eu sei que seu estado fresco de ser nos deixa sem a precisão de usar o ventilador de painel do Batcarro.. ¬¬ e é melhor que esqueça mesmo fatos passados ou eu seria preso por pedofilia..

§Asa Noturna§ diz: não to falando? Sua mente ta podre, ta até pensando coisas estranhas...o que vc anda fazendo com o Robin? Eu eim... sempre fui mais a Batgirl

§Batman§ diz: Asa Noturna.. vc sofreu de Magnésia? Vc era o Robin..

§Asa Noturna§ diz: Você bateu a cabeça? o Robin é o Drake eu deixei de ser pq num te aguentava...se é muito chato sabia? Aí a Batgirl saiu...nem tinha mais oq ue fazer aqui...e aí posso ligar o batsinal hj?

§Batman§ diz: *olhando para o ex menino prodigio, e como não existe ex-politico, ex-ladrão, nem ex-viado, Asa Noturna seria sempre, sempre o Robin.. * Certo, agora pare com essa troca de amabilidade e vamos trabalhar.. só pq se emancipou tá achando que é gente.?! *arrumando a capa* ande.. ligue logo o batsinal, hj!

§Asa Noturna§ diz:*¬¬* Que que você ta olhando? A demorou, achei que agora você só falava. E so sim, eu tomo conta do meu pedaço...você que fica pedindo ajuda *Estrala o pescoço e vai até o batsinal, quem nunca quis ligar aquela joça? até o Batman deve se corroer de vontade. Liga* uuu

§Batman§ diz: *crianças.. elas sempre querem brincar de ser vagalume.. u.u* Olhava para Asa acendendo o batsinal.. * Muito bem Asa Diurna.. agora vamos esperar que o Comissário Gordon nos envie um batsinal tb, e até hj eu não sei pq não usamos e-mails.. globalização oras.. u.u.. *e como por encanto o outro sinal do morcego peitudo surgia do outro lado da cidade* Olhe Asa Madrugal.. o batsinal do comissario!

§Asa Noturna§ diz: O rato de asas sussega *Vira o batsinal lançando a luz em você* Hunf...engraçadinho esse morceguinho hoje né *Volta o feixe pro céu, olha o outro sinal* Perde a magia...vai ver isso aí assusta alguém... ou talvez o comissario gosta de brincar com isso *Sai correndo pegando a corda e pula do predio prendendo a corda na beirada, vai descendo indo até a moto*

§Batman§ diz: *cruzando os braços com a capa a cobrir dando o ar assustador a imagem no alto do predio.. fechando os olhos quando o zé mané atira o feixe de luz * Pq não enfia esse batsinal na .. *parava de falar o ex menino prodigio ja descia correndo* Essa juventude apressada de hj em dia.. *saltava seguradno na corda, ja parando ao lado do batcarro, abrindo o capoo.. e o ziper da calça para enxer o radiador* Merda.. Asa da tarde pq não desceu com uma garrafinha de coca cola com agua!?

§Asa Noturna§ diz: *Recolhe a corda a guardando, e corre até a moto subindo rapidamente nela, olha o retrovisor da uma treinada em uma cara de mal. Liga a moto e acelera saindo, te olha de lado e joga um todinho* hehehe faça bom uso chifrudo *Olhando o batsinal de relance enquanto acelera*

Robin § Ow batman, me veja o seu Bat saco para mim puxar! foi adicionado à conversa.

§Batman§ diz: ¬¬ *entrando no Batcarro de uma vez ligando e acelerando o motor de fusca que o Alfred colocou no lugar do original, parando na esquina para pegar o novo menino prodigio* Que cabelinho de gay robin.. entra no carro que temos que impedir mais um crime e o Asa aurora boreal já esta na frente

Robin § diz: *passa a mão no cabelo e olha para Batman fazendo uma cara triste* Ow deus, achei que o senhor gostaria *entrando no bat carro, e colocando o bat cinto de segurança* vamos Batmannnn, motores ligados *apertando alguns botoes no teto* pronto para a decolagem

§Asa Noturna§ diz: *Olha pelo retrovisor* Morcego tosko, não vai tomar o todinho *Observa o Robin* Cara...agora eu sei porque o chifresman me chamou...olha esse muleque. Opa!! *olha pra frente e desvia de um carro, atravessando a cidade indoaté o sinal* Essa merda tinhaq ue ser longe assim?

§Batman§ diz: õO *deve ser sina.. todo menino prodigio é meio gay.. acelerando o bat carro pela cidade passando num VUCO VUCO tão rapido que faz a motoca do Asa dia a dia girar na pista.. logo chega ao centro da cidade, e o banco de gothan estava sendo invadido pelo CU - RINGA* Oh não Menino prodigio.. é cu RINGA.. *parando o carro quando granadas de gas do riso verde eram atiradas no batcarro*

Robin § diz: Ow não o CU ringa não *pulava pra fora na fumaça verde do riso, que por deus nao conbinava com suas vestes laranja ofusquete e saia em meio a fumaça* Oww não! meu vestido de festa está cheirando a fumaça de bombasdegáslançadascontr obatcarropeloCu ringa *falava tudo na mesma frase enquanto puxava o bat disco* é hora da violenciaaaa!!!!

§Asa Noturna§ diz: *Com um reflexo e habilidade que o chifrudo já não poderia ter mais, Asa noturna consegue manter a moto bem na pista, acelera mais alcançando. Ve o CU-RINGA* Ahhh mas é agora *para a moto antes do gás se espalhar, deixnaod o batman na frente, pega os dois bastões* Prepara seu CU_RINGA porque não ta lubrificado *faz cara de mal e vai indo até o batcarro* Vai lá muleque assopra a fumaça *Empurra o Robin la pra dentro*

Robin § diz: [por que eu tenho que ser viado? -.- eahueahuaehueuaeuhea sacanagem]

Robin § diz: *em um ato de furia e ciumes pelo pentiado fashion hayr de Robin o garoto (ou garota) prodigio, é lançado na fumaça e começa dessesperadamente assoprar a fumaça fazendo um biquinho* Fuuuuuuu fuuuuuuuuuuu fuuuuu aiiii fuuuuuu fuuuuuu *girando enquanto assopra* Socorro vo morre intoxicadoooooo fuuuuu fuuuuu

§Batman§ diz: *depois de ver mais uma demonstração gaysistica de seu parceiro e de Asa visão noturna conseguir equilibrar a moto, batman pisa com sua bota luis XV - opa.. risca esse detalhe no script - no chão sendo envolto pela fumaça vede do gass do riso do CU-ringa.. e o Asa DIU Noturna empurrava o menino prodigio para frente que soprava com seu biquinho purpurinado a fumaça* Oras oras menino prodigio, quantas vezes eu terei que te ensinar qeu não é assim que se sopra? Tem que fazer um biquinho frances.. *e ia para frente empurrando Asa de galinha noturna para o lado fazendo um biquinho* Mercy beau cufssssssssssssssssssssssssssssssssss * soprava com todo o ar dos seus pulmões recem pintados de rosa choque e a figura macabra nefasta de CU_RINGA surgia diante deles* NYAHAHA EU VOU TE PEGAR HE-MAN!!! *ops.. desenho errado* HAHAHAHAHAHAHHA VCs não me pegam super gayroes!

§Asa Noturna§ diz:*Olhando o Robin e começando a rir* Porra Chifreman, arranjou uma batgirl nova?? *Ve o Batman indo soprar* Macacos me mordam Batman, até tu? Essa capinha não engana ninguém *Bate um bastão no outro* Agora só sobrou eu, o grande Asa Noturna yooo *joga a corda no alto do predio, sobe e corre passando por cima da fumaça* Agora... agora você vai sentir o poder dos bastões *Pula la de cima em cima do carro do CUringa que começava a sair, se segura no teto* Pelos chifres do Batman, alguem para esse carro

Robin § diz: Tá bom ó bat mestre e senhor *ouvia as palavras do senhor bat enquanto ele assoprava a fumaça verde que dava um toque todo pessoal aos olhos brancos do seu senhor bat poderoso quando via a figura do Cu_ringua surgir na sua frente se assustava e dava um pulinho para trás apontando o dedo para ele* que isso nao se repita eim! *e olhava para o batchefe e depois para o Asa chester diurna que via com o carro corria* É MINHA HORA DE BRILHAR!!! purum purum!! PELOS PODERES DE GAYSCOU!! *fazi as posições do He-man e quando ia falar "eu tenho a força " declamava* EUUUU QUEIMO A ROSCAAAAA!!! *e começava a brilhar em um tom rosa nenen* yahhhhhh morra Cu_ringaaaa *lançava o pó de purpurina junto com o raio lasear no carro do curinga*

§Batman§ diz: *Batman acabava de soprar com seu brilho labial cor da pele projhetado pela hera venenosa e ele era cobaia experimental* aaafuuuuuuuuuuu.. cof cof cof.. *engasgava com a fumaça verde do gas do riso que entrava pela boca do homem morcego* GAAAAASP.. ainda prefiro são Paulo.. e logo o ruido do carro que saia levando Asa pentelho noturno para fora podia ser escutado pelo homem morcego *PEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEGA ROBIN! *E lá ia o menino prodiogio brilhar queimando a rosca emitindo raios ultra rosa nenens para o carro batman retirava do seu cinto de inutilidades o batgancho e girava.. girava..girava.. girava.. até que cansava e atirava na direção do caroo* AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAI Minha unha!!!! AAAAQALFREEEEDDD. *E la vinha o velho mordomo com o esmalte e o alicate de cutícula para consertar a unha do bat poderoso chefe de uma vez* Ui.. quase arrancou um bife.. *alfred saia de cena e batman ligava os batfreios ABS das BATBOTAS LUIS XV de uma vez para parar o carro. conseguia com a ajuda dos raios ultrarosabebes do menino prodigio.. mas Asa perua noturna voava longe*

§Asa Noturna§ diz: Puta que pariu Batman, faça alguma coisa *Se balançando lá em cima, ta ver aquele raio feshiona tingir o carro. De repente sente o tranco do carro parando* Woooooooow ele se encaixou em um poste e puxou o carro *Asa noturna com seu reflexo incrivel e sua agilidade de trapezista gira o corpo no ar e lança o gancho no carro, ele quebra os vidros atrevessando o carro e prendendo atras. Asa entra com tudo la dentro, olha o CU-RINGA* Riiiiiiii filha da puta!! *começa a dar socos no risonho palhacinho e faze-lo virar de costas enquanto pega o bastão* La vaaaaaai *Fecha os olhos e chuca o bastão, ouvindo o grito agudo e desesperado do veeeelho inimigo do morceguinho*

Robin § diz: *via que o super chefe bat fodão parava o bat carro e seus poderes se esgotavam caindo de joelhos no chao e falando com voz suave* Puff cansei... *colocando as mãozinhas lindas no chão para se apoiar e ficando meio que de 4 nas ruas de ghotan citi* ai to mortinha *sentava no chão olhando a cena e logo se levanta olhando para a camera e falando agora com voce máscula e com seu pentiado intocavel* E mais uma vez os bons vencem, e se voces verem, sem desmanchar o cabelo, isso por que eu usso *levantava um tubo rosa choq com o desenho de um robin se pentiando* Lake Robin winldson, para as mais perigosas aventuras, sem desmanchar o cabelo *sorria e dava um brilho no canto dos dentes e voltando a camera para os caras que se matavam* owww deuss ele está sendo piiiiiiiiiii *censurado* pela Asa perdigão notoria!!!!

A Voz do Narrador diz: Depois que o carro parava e o ruido da sonoplastia esquecida pelo Asa ai ai Noturna o continuista colocava as plaquinhas* PAM.. TUM.. POF.. SOC.. * Ai ai.. e mais uma vez o bem triunfou e depois que o Asa de pavão Noturna acabar de descabelar o CU-Ringa.. *faz careta* Batman e Robin, o garota prodígio voltaram para o bat ninho de amor caverna.. *e os creditos começam a subir fechando a câmera no emblema do morcego de sutiam no peito de batman* - ABSORVENTES HOMOSSEXUAIS CUPAX O ABSORVENTE DO HOMEM MODERNO - PAPEIS HIGIÊNICOS SOPRACU.. AGORA NOS AROMAS FLORAIS E ARCO-IRIS - SANDALINHAS BICO LARGO PARA AQUELA MENINA QUE ACHA QUE SER DOCE NÃO É A SOLUÇÃO.*




Rabiscado por Sandman

6 :... Encontre a si mesmo ...: